Perda de nitrogênio no cultivo de arrozais

Do artigo «Perda de nitrogênio em arroz (Oryza sativa L.) irrigado em várzea tropical», de Glaucilene Duarte Carvalho, Beata Emoke Madari, Alberto Baêta dos Santos, Mellissa Ananias Soler da Silva, Adriana Rodolfo da Costa5, Rúbia dos Santos Corrêa, Wesley Gabriel de Oliveira Leal, Diego Mendes de Souza, Roberto Carlos Gomes dos Santos, Ivã Matsushige, publicado por Embrapa.

O nitrogênio é o nutriente que se destaca para a cultura do arroz irrigado, porém a sua eficiência de recupeação es relativamente baixa, devido às diversas perdas. O objetivo deste estudo foi estimar a perda de nitrogênio, na forma de óxido nitroso e amônia, avaliar pH e Eh e determinar os teores de N mineral na solução do solo em cultivo de arroz irrigado em várzea tropical.

Os tratamentos consistiram em:

  • T0: testemunha, sem nitrogênio
  • T1: tratamento recomendado correspondendo a 20 kg de N ha-1 na base + 90 kg de N ha-1 em duas coberturas
  • T2: aplicaçao baseada no uso do clorofilômetro, sendo 20 kg de N ha-1 na base + 75 kg de N ha-1 em três coberturas.

Foram instaladas câmaras para coleta de N2O e câmaras coletoras de amônia denominadas de SALE (câmara semiaberta livre estática). E também foram instalados extratores de solução do solo, sendo realizadas 24 coletas de solução do solo.

As perdas de N por emissão de óxido nitroso decorrentes da utilização de ureia totalizaram 1,30 kg/ha de N, no T1 e 1,44 kg/ha de N, no T2. Já as perdas de N por volatilização de amônia totalizaram 2,10 kg/ha de N, no T1, e 20,3 kg/h1 de N, no T2.

A principal transformação que ocorreu na solução do solo após inundação foi a redução do potencial de oxirredução e, consequente aumento do pH. E, os teores de nitrato e amônio sofreram redução ao longo do período de inundação.